Boehringer Ingelheim e Vanderbilt University anunciam parceria para desenvolver novas terapias para transtornos psiquiátricos

Publicado em 19/02/2019
752 visualizações

Farmacêutica aprimora pipeline de doenças do sistema nervoso central. Vanderbilt Center for Neuroscience Drug Discovery avança em alvos pré-clínicos de esquizofrenia

São Paulo, fevereiro de 2019 – A Boehringer Ingelheim e o Vanderbilt Center for Neuroscience Drug Discovery (VCNDD) anunciaram dois novos acordos globais para investigar, desenvolver e comercializar novas pequenas moléculas visando dois receptores distintos acoplados à proteína G. (GPCRs) conhecidos por se engajarem na modulação de certos circuitos cerebrais, que são alterados em condições neuropsiquiátricas, como a esquizofrenia.

“Ao unir forças com a Vanderbilt University, um dos principais grupos do mundo integrando neurociência básica e novas abordagens translacionais em condições neuropsiquiátricas, a Boehringer Ingelheim fortalecerá e expandirá os esforços para trazer novos tratamentos aos pacientes”, disse Bernd Sommer, Ph.D., Global Head CNS Disease Research da Boehringer Ingelheim. “Nossos colegas na Vanderbilt University compartilham nossa visão estratégica de descoberta de drogas para regular os circuitos do cérebro mal adaptados como a chave para aliviar os sintomas em condições neuropsiquiátricas e trazer alívio aos pacientes que sofrem desses distúrbios debilitantes”, completa.

Circuitos cerebrais desadaptativos são a base neurobiológica dos principais sintomas em muitos transtornos mentais. Esses sintomas podem incluir dificuldades de memória, concentração e tomada de decisão, bem como retraimento social, falta de motivação ou incapacidade de sentir prazer. Como os GPCRs têm papéis específicos na regulação e modulação das funções do circuito cerebral, essas proteínas são alvos promissores de drogas destinadas a aliviar esses sintomas. O VCNDD foi pioneiro na pesquisa de GPCRs, produzindo uma melhor compreensão de seus papéis na modulação do cérebro.

“Estamos muito satisfeitos em firmar essa parceria com a Boehringer Ingelheim para o desenvolvimento de novos tratamentos para a esquizofrenia e outros transtornos psiquiátricos”, disse o diretor do VCNDD, P. Jeffrey Conn. “A Boehringer Ingelheim é uma das líderes do setor que compartilha nossa paixão pelo avanço de novas estratégias terapêuticas que podem melhorar drasticamente o padrão de atendimento para indivíduos que sofrem de doenças mentais graves. Por meio dessa parceria, somos capazes de buscar novas abordagens para corrigir déficits em circuitos cerebrais que podem permitir o tratamento de sintomas debilitantes que não respondem a medicamentos disponíveis”.

Craig W. Lindsley, diretor médico e químico do VCNDD, reforçou o entusiasmo pela parceria. “Os programas em parceria com a Boehringer Ingelheim representam a culminação de anos de ciência básica e translacional em nosso centro e destacam o papel fundamental que os centros acadêmicos de pesquisa e desenvolvimento de novos medicamentos podem ter no futuro da saúde mental humana”, disse.

Essas novas colaborações acadêmicas do setor podem ser as primeiras a se concentrar nas duas metas do GPCR com o objetivo de atender às necessidades médicas não atendidas para o tratamento de sintomas cognitivos e negativos associados à esquizofrenia. A parceria também aumentará as metas educacionais do VCNDD para formar doutorandos e pós-doutorandos e desenvolver novas ferramentas para o avanço do conhecimento em neurociência. Mais detalhes do acordo não foram divulgados.

A Boehringer Ingelheim e a Vanderbilt University já têm estudos anteriores focados na identificação de novas terapias para o câncer.

Sobre os distúrbios neuropsiquiátricos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) relata que os distúrbios neuropsiquiátricos são a terceira maior causa de anos vividos com incapacidade (DALY). Além disso, esses distúrbios incluem condições mentais e comportamentais, como depressão, ansiedade, transtornos relacionados ao uso de drogas e álcool, esquizofrenia, transtorno bipolar e outras doenças que, juntas, representam 7,4% do total de DALYs globais.

Sobre a Boehringer Ingelheim

A Boehringer Ingelheim é uma das 20 principais farmacêuticas do mundo e possui cerca de 50.000 funcionários globalmente. Atua há mais de 130 anos para trazer soluções inovadoras em suas três áreas de negócios: saúde humana, saúde animal e fabricação de biofármacos. Em 2017, obteve vendas líquidas de cerca de € 18,1 bilhões e os investimentos em pesquisa e desenvolvimento corresponderam a 17% do faturamento líquido (mais de € 3 bilhões). No Brasil há mais de 60 anos, a Boehringer Ingelheim possui escritórios em São Paulo e Campinas, e fábricas em Itapecerica da Serra e Paulínia. A empresa recebeu, em 2018, pelo segundo ano consecutivo, a certificação Top Employers, que a elege como uma das melhores empregadoras do mundo por seu diferencial nas iniciativas de recursos humanos. Para mais informações, visite www.boehringer-ingelheim.com.br e www.facebook.com/BoehringerIngelheimBrasil.

FONTE

Aviso: Os textos e conteúdos são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do About Me.

Confira as últimas notícias